FUNDAÇÃO ATLÂNTICO

DESEMPENHO DOS PLANOS – JULHO 2021

 

 Desempenho relativo aos compromissos de Contribuição Definida 

Planos TelemarPrev e TCSPREV   0,35% (no mês)                                                                                                                 1,93% (acumulado 2021)                                                                                                   4,95% (acumulado últimos 12 meses)

Plano CELPREV                            0,35% (no mês)                                                                                                                 1,96% (acumulado 2021)                                                                                                    5,00% (acumulado últimos 12 meses)

PLANO FAMÍLIA 

Perfil Conservador                        0,32% (no mês)                                                                                                                 1,73% (acumulado 2021)

Perfil Moderado                             0,38% (no mês)                                                                                                                  2,94% (acumulado 2021)

 Perfil Arrojado                            0,67% (no mês)                                                                                                                  5,54% (acumulado 2021)

 

Desempenho relativo aos compromissos de Benefícios Definido

Plano TelemarPrev                        0,75% (no mês)                                                                                                                  5,85% (acumulado 2021)                                                                                                13,01% (acumulado últimos 12 meses)

Plano TCSPREV                          -0,45% (no mês)                                                                                                                  3,10% (acumulado 2021)                                                                                                  9,73% (acumulado últimos 12 meses)

Plano PBS-Telemar                       0,31% (no mês)                                                                                                                  4,93% (acumulado 2021)                                                                                                11,66% (acumulado últimos 12 meses)

Plano PBS-TNC                            -0,65% (no mês)                                                                                                                 2,98% (acumulado 2021)                                                                                                   9,27% (acumulado últimos 12 meses)

Nossos números

 R$ 11,5 BI – Patrimônio Social

182 – Adesões (ano)

R$ 53,3 MI – Folha de pagamento de benefícios

450 – Benefícios concedidos (ano)

 Participantes: 9.872

Assistidos: 15.167

Empréstimos concedidos: 298 (junho)

Valor financeiro dos empréstimos concedidos em junho:

R$ 1.445.648,82

 

 

 

SISTEL: ADIANTAMENTO DE 50% DO 13º BENEFÍCIO (ABONO ANUAL) SAIRÁ ESTE MÊS

  

Informamos que haverá a antecipação de 50% (cinquenta por cento) do Abono Anual e o pagamento desta primeira parcela será realizado no dia 30 de junho, juntamente com o benefício mensal da Sistel. Este pagamento antecipado não é obrigatório, mas a Sistel entende a importância dessa antecipação, principalmente nesse momento tão atípico que estamos vivenciando.

Qualquer dúvida, estamos à disposição para te atender por nossos canais de Relacionamento!

Fonte: Sistel (07/06/2021)

AGRADECIMENTO

A  APAS-RJ vem a público agradecer aos eleitores pela expressiva votação aos nossos candidatos Nominando e Burlamaqui, respectivamente aos Conselhos Deliberativo e Fiscal da Fundação Sistel.

Foi uma demonstração de confiança e reconhecimento pelo trabalho em defesa dos interesses dos Sistelados, executado ao longo dos anos pela nossa Associação.

Não foi fácil. Tivemos que enfrentar uma batalha de sucessivos ataques de outra Associação não filiada à Fenapas, que se utilizou de meios escusos para tentar angariar votos para os seus candidatos. Felizmente, os eleitores não se deixaram levar por intrigas e prestigiaram os candidatos que ao longo dos anos sempre participaram na defesa de nossos direitos por meio de trabalho voluntário em nossa Associação.

Mais uma vez manifestamos nossa gratidão e reforçamos que estamos a serviço de todos, procurando sempre o que for melhor para os Aposentados e Pensionistas da Fundação Sistel.

Os momentos estão difíceis com a pandemia, mas, esperamos que em breve, tenhamos nosso atendimento presencial normalizado na nossa Associação.

DIRETORIA DA APAS-RJ

ELEIÇÃO CONSELHEIROS SISTEL: ELEIÇÕES CONFUSAS SÃO ADIADAS PARA INÍCIO EM 31 DE MARÇO. SISTEL ALEGA DIFICULDADES DA CONTRATADA DEVIDO PANDEMIA E OMITE-SE QUANTO AS DIFICULDADES DE OPERACIONALIZA-LA

 

 

Veja na íntegra comunicado da Sistel divulgado na noite de ontem sobre o adiamento da eleição e posteriormente, nas Notas da Redação, sobre como se chegou ao ponto de inviabiliza-la nesse mês  : 

 

Estamos passando por situações difíceis em tempos de pandemia e, por motivos de força maior, fomos obrigados a alterar o cronograma nas Eleições 2021. 

O período de votação divulgado anteriormente será alterado. O novo período de votação terá início em 31 de março de 2021.

Conforme estabelecido no Regulamento, o processo eleitoral deve ser realizado por empresa especializada contratada para esse fim, com intuito de manter a imparcialidade das eleições.

Ocorre que a empresa contratada para condução do processo foi severamente afetada pela pandemia da Covid 19, impossibilitando a continuidade aos serviços contratados.

É importante frisar que a referida empresa é referência no segmento de Previdência, tendo sido utilizada por muitos fundos de pensão do País em suas eleições, e atuou nos dois últimos processos eleitorais da Sistel, com segurança e qualidade. Essa situação circunstancial, que está afetando a Sistel, também afetou o processo eleitoral de outras Entidades de Previdência Complementar.

Diante do ocorrido, para fins de possibilitar a continuidade do processo eleitoral, se faz necessária a contratação de outra empresa especializada, o que demandará um prazo adicional para que o novo fornecedor prepare o sistema de acordo com as regras estabelecidas no Regulamento Eleitoral da Sistel.

Confira o que não sofrerá alteração:

- As regras estabelecidas no Regulamento Eleitoral.

- As chapas homologadas e seus respectivos números de identificação.

- As senhas de votação.

A comissão eleitoral irá divulgar novo cronograma eleitoral, com a oficialização das novas datas até o dia 22 de março.

As informações aos eleitores e candidatos continuarão a ser divulgadas no aqui no Portal Sistel.

Fiquem atentos aos e-mails, mensagens de celular e aos comunicados aqui no Portal Sistel.

A Comissão Eleitoral lamenta o ocorrido e está trabalhando intensamente para manutenção da normalidade do processo eleitoral, reiterando que os eventos que implicaram nos ajustes ora apresentados, decorreram de força maior, alheia à vontade ou interferência da Sistel.

Para conferir o regulamento, currículos dos candidatos e números das chapas clique aqui.

Fonte: Comissão Eleitoral Sistel (11/03/2021)

Notas da Redação: Com um Regulamento Eleitoral tão estapafúrdio e complicado, como o proposto por um conselheiro eleito e também candidato, com a possível intenção de se beneficiar em seu estado e também prejudicar os participantes e assistidos do CPQD, e que mesmo assim foi posteriormente aprovado pelo Conselho Deliberativo da Sistel com votos contrários apenas do conselheiro representante do CPQD e dos 3 conselheiros eleitos apoiados pela Fenapas, Regulamento esse em que se mistura planos previdenciários e locais de residência para a designação da Região de votação, não podia-se esperar outra coisa!

Desde o início desse ano (11/01), esse blog (vide esta postagem) vem alertando sobre a dificuldade do eleitor no entendimento de quais chapas estarão disponibilizadas para sua escolha em função de seu plano e de seu local de residência contidas nesse Regulamento Eleitoral completamente disparatado e que portanto naturalmente dificulta sua implementação e operacionalização por qualquer empresa especializada e experiente.

Fonte: Blog Aposentelecom

Sistel: Em quem votar?

Colega,

A Eleição da Sistel de 2021 tem sido caracterizada pelos “fakes” (Mentiras e Calunias), por respeito com os Sistelados não entraremos neste jogo sujo!

Os Conselheiros dos Participantes são eleitos para defender o que é importante para os Participantes, enquanto os Conselheiros das patrocinadoras (oi, vivo, telefônica, etc) defendem os interesses das patrocinadoras, quanto menos obrigações, melhor! Para elas os nossos direitos representam gastos e compromissos.

Temos que eleger gente nossa, antigos companheiros do Sistema Telebrás, que tem trabalhado pelos Aposentados nas Associações Afiliadas à Fenapas ou em Entidades Parceiras. Não podemos colocar em risco o que é nosso!

Há muito mais considerações sobre a importância do voto, mas a principal é que você é o maior interessado. Votar nos nossos candidatos ou deixar que as patrocinadoras decidam tudo por você! Você decide.

Estes Candidatos têm um histórico de dedicação à defesa dos direitos dos Sistelados, nas Associações, na Federação e nos Conselhos:

 

CD – Região 1 e CF – Região 1: Veja as propostas

CONSELHO DELIBERATIVO

Germar Pereira da Silva – Titular (11)98292-4851

Osvaldo Rossato – Suplente

Região 1: GO, MS, PA, SP

CHAPA 13

CONSELHO FISCAL

Carlos Alberto de O. C. Burlamaqui -Titular(21)98847-2186

Luiz Omar Amerio Monteiro – Suplente

Região 1: GO, MS, PA, SP, RJ, MT.

CHAPA 20

CASO TENHA ALGUMA DÚVIDA, LIGUE PARA SEU CANDIDATO

 

CD – Região 2 e CF – Região 1: Veja as propostas

CONSELHO DELIBERATIVO

Nominando Martins da Silva – Titular (21)99636-4098

Paulo Sergio Longo – Suplente

Região 2: RJ, MT

CHAPA 14

CONSELHO FISCAL

Carlos Alberto de O. C. Burlamaqui -Titular(21)98847-2186

Luiz Omar Amerio Monteiro – Suplente

Região 1: GO, MS, PA, SP, RJ, MT.

CHAPA 20

CASO TENHA ALGUMA DÚVIDA, LIGUE PARA SEU CANDIDATO

 

CD – Região 3 e CF – Região 2: Veja as propostas

CONSELHO DELIBERATIVO

Flordeliz Maria de Moura Rios – Titular (31)99954-2954

Alexandre Roberto das Neves Moreira – Suplente

Região 3: CE, ES, MG, PR, RN, RS, SC

CHAPA 16 

CONSELHO FISCAL

Cleomar Justiniano Gaspar – Titular (41)99205-2295

Bemvindo Fiamoncini – Suplente

Região 2: CE, ES, MG, PR, RN, RS, SC, AC, AL, AM, AP, BA, DF, MA, PE, PI, PB, RO, RR, SE, TO, Assistidos e Participantes dos Planos PBS-CPqD, CPqD PREV, INOVAPREV.

CHAPA 21

 CASO TENHA ALGUMA DÚVIDA, LIGUE PARA SEU CANDIDATO

 

CD – Região 4 e CF – Região 2: Veja as propostas

CONSELHO DELIBERATIVO

Ezequias Ferreira – Titular (61)99177-2400

Ronaldo Arruda – Suplente

Região 4: AC, AL, AM, AP, BA, DF, MA, PE, PI, PB, RO, RR, SE, TO, Assistidos e Participantes dos Planos PBS-CPqD, CPqD PREV, INOVAPREV.

CHAPA 15

CONSELHO FISCAL

Cleomar Justiniano Gaspar – Titular (41)99205-2295

Bemvindo Fiamoncini – Suplente

Região 2: CE, ES, MG, PR, RN, RS, SC, AC, AL, AM, AP, BA, DF, MA, PE, PI, PB, RO, RR, SE, TO, Assistidos e Participantes dos Planos PBS-CPqD, CPqD PREV, INOVAPREV.

CHAPA 21

CASO TENHA ALGUMA DÚVIDA, LIGUE PARA SEU CANDIDATO

Fonte: site FENAPAS

Entrevista de CLAUDIA RICALDONI

Entrevista de CLAUDIA RICALDONI, membro do Conselho Deliberativo da Forluz e diretora da Anapar, FALA SOBRE O PAPEL DO CONSELHEIRO ELEITO

Cláudia Ricaldoni, membro do Conselho Deliberativo da Forluz, o fundo de pensão dos empregados da Cemig, diretora da Anapar e ex-representante dos participantes e assistidos no Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC), conversa sobre a importância do Conselho Deliberativo nas entidades fechadas de previdência complementar (EFPC) e sobre o papel do conselheiro eleito.

A entrevista concedida à jornalista Patrícia Cunegundes, da Anapar.

Confira:

Cunegundes – Cláudia, antes de entrarmos no papel do conselheiro, você poderia nos explicar o que é o Conselho Deliberativo e o que compete a ele?

Cláudia Ricaldoni – O Conselho Deliberativo é o órgão máximo de governança da entidade fechada de previdência complementar, ou do fundo de pensão, para simplificar. Ele é responsável pela definição da política geral de administração da entidade e dos planos de benefícios.

Algumas das competências do Conselho Deliberativo estão definidas na Lei Complementar nº 108, de 29/05/2001, cujas normas incidem sobre os fundos de pensão patrocinados pela União, pelos estados, pelo Distrito Federal e pelos municípios, suas autarquias, fundações, sociedades de economia mista e outras entidades públicas. Nos demais fundos, regidos pela Lei Complementar nº 109, de 29/05/2001, as competências do Conselho devem constar nos estatutos.

Entre as principais atribuições dos conselheiros deliberativos estão nomear (e exonerar, em caso de condenação por processo administrativo) os membros da Diretoria Executiva; deliberar sobre a política de investimentos dos recursos garantidores dos planos de benefícios e acompanhar a sua execução; verificar se a política de investimentos está em conformidade com as premissas atuariais e com o fluxo de ativos e passivos dos planos de benefícios; aprovar o plano anual e plurianual de atividades e acompanhar a sua execução; deliberar sobre investimentos e desinvestimentos com valor igual ou superior a 5% de cada plano de benefícios, ou percentual menor deliberado pelo próprio Conselho Deliberativo; deliberar sobre alterações no estatuto e nos regulamentos dos planos de benefícios; deliberar sobre o plano de custeio dos planos de benefícios; deliberar sobre o orçamento anual de despesas administrativas e acompanhar a sua execução; deliberar sobre a política de informação e relacionamento com os participantes e assistidos, orientada pela transparência e pelo dever de informar exigido pela legislação de regência da Previdência Complementar.

Cunegundes – E qual o papel do conselheiro deliberativo eleito?

Cláudia Ricaldoni – O conselheiro eleito para o Conselho Deliberativo nunca pode esquecer sua dupla função de gestor de Entidade Fechada de Previdência Complementar e de representante dos participantes e assistidos, o que lhe exige maior rigor e atenção no desempenho das funções de gestão e controle na entidade, com transparência, atendendo aos melhores princípios da boa governança.

É no Conselho Deliberativo onde os assuntos de interesse dos participantes e dos assistidos são apresentados, discutidos, analisados e decididos; portanto, o Conselho Deliberativo é a instância na qual o processo de análise e decisão determina o caráter da gestão, ou seja, em prol de quem se realizam as políticas, as diretrizes e atividades operacionais da entidade que administra os planos previdenciários.

Nesse sentido, ele tem que ter em mente que recebeu um mandato dos participantes e assistidos para tomar as deliberações estratégicas da entidade, e sempre, antes de tomar uma decisão, apresentar à sua base o que está sendo discutido, observando, claro, que há informações que devem ser preservadas, como informações sobre investimentos que podem ser estratégicas e que podem ser privilegiadas, o que é contra lei.

Cunegundes – Quais os desafios?

Cláudia Ricaldoni – Há um movimento que tenta impedir que os conselheiros eleitos levem as informações aos participantes e assistidos, uma lei da mordaça – devemos ficar atentos a isso e não ceder. O conselheiro eleito tem responsabilidade com a governança e também com os participantes e assistidos, que também são “sócios do negócio”, vamos dizer assim.

E, claro, o conselheiro eleito deve estar sempre consciente de que, ao se eleger, recebeu um mandato limitado, isto é, não recebeu autorização para promover alterações nos estatutos e regulamentos sem as rigorosas análises dos efeitos e das consequências, sobretudo das que recaem sobre os participantes e assistidos e que afetam os seus direitos e interesses, no curto ou no longo prazo, razão pela qual devem ser sempre ouvidos.

Essa tarefa pode ser feita pelos meios de comunicação da entidade, assim como, quando possível, das entidades representativas dos participantes, isto é, sindicatos e associações de aposentados, entre outras,  onde pode e deve ocorrer o mais amplo debate, com a efetiva participação dos dirigentes dessas entidades.

O conselheiro eleito tem mandato para deliberar sobre os planos de benefícios administrados pela entidade, mas não o tem para transacionar direitos em nome dos participantes e assistidos, ou alterar as condições do contrato previdenciário onde estão inscritos os seus direitos. Assim, o conselheiro eleito não deve, de maneira alguma, deliberar sobre estes temas de maneira isolada, sem consultar os participantes ou suas entidades representativas.

Cunegundes – Mas não é apenas a questão da representatividade que importa, né, Cláudia?

Cláudia Ricaldoni – Claro. Além do compromisso com quem o elegeu, há que se dedicar, e muito, ao acompanhamento e supervisão das atividades de investimentos dos recursos garantidores, da gestão dos planos de benefícios, aí incluídas as avaliações das premissas atuariais que conformam o conjunto de obrigações dos planos previdenciários com seus participantes e assistidos, abrangidos pela avaliação atuarial anualmente. É com a máxima atenção a essas questões estratégicas que se podem preservar os fins da entidade, o patrimônio dos planos previdenciários e, sobretudo, proteger os direitos e a confiança de quem o elegeu – os participantes e assistidos.

FONTE: recontaai.com.br:

 

GUIA PARA VOTAÇÃO NOS CONSELHEIROS DA SISTEL

 - A Sistel já disponibilizou no seu site no dia 08/02/2021, a senha para votação nos representantes dos assistidos nos Conselhos Deliberativo e Fiscal.

- Você também vai receber da Sistel no dia 03/03/2021, a senha por e-mail, ou SMS pelo celular para poder votar.

- Guarde esta senha. Para votar você vai precisar também de seu CPF.

- A votação será realizada entre os dias 15/03/2021 a 24/03/2021 e você poderá votar pelo portal da Sistel ou pelo telefone 0800 602 7550.

- Os representantes da APAS-RJ, são:

CONSELHO DELIBERATIVO – REGIÃO 2

CHAPA Nº 14

Nominando Martins da Silva (titular)

Paulo Sergio Longo (suplente)

Joantonio de Magalhães Pereira (substituto)

- Os representantes da APAS-RJ, são

CONSELHO FISCAL – REGIÃO 1

CHAPA Nº 20

Carlos Alberto Burlamaqui (titular)

Luiz Omar Amerio Monteiro (suplente)

João Carlos Fonseca (substituto)

APRESENTAÇÃO DO CANDIDATO DA APAS-RJ AO CONSELHO DELIBERATIVO DA SISTEL

Rio de Janeiro, 09 de fevereiro de 2021.

Prezados colegas e companheiros,

Olá! Sou Nominando, atual presidente da APAS-RJ. Alguns já me conhecem, pois fui presidente do sindicato dos telefônicos por dois mandatos. Isso na década de 80. Depois de aposentado, passei a militar na nossa Associação, onde estou há mais de 22 anos, ocupando os cargos de Conselheiro, Vice-Presidente e Presidente do Conselho, em seguida, Vice-Presidente Executivo e hoje Presidente da APAS-RJ. 

Tivemos a felicidade de estarmos a frente da APAS-RJ, junto com os nossos atuais representantes nos Conselhos da Sistel, quando o superávit começou a ser distribuído, depois de anos de enfrentamentos.

Sempre estive na luta em defesa de nossos interesses junto a Fundação Sistel, junto aos companheiros da Associação.

Agora, mais experiente, dirijo-me aos nossos associados, e aos demais vinculados aos planos de seguridade da SISTEL, para me apresentar e pedir o seu voto, pois sou candidato a cargo no Conselho Deliberativo da Fundação Sistel de Seguridade Social, na eleição que vai ocorrer de15 a 24 de março de 2021.

Não apresento a formalidade de minhas propostas, mas me comprometo em:

  • lutar por um plano de saúde mais humanizado e com melhor distribuição de médicos, clínicas e hospitais credenciados em nosso Estado;
  • empenhar-me pela diminuição percentual da coparticipação dos assistidos no PAMA/PAMA-PCE;
  • trabalhar pela agilização da liberação e distribuição dos superávits pendentes e dos futuros;
  • lutar para o retorno do financiamento das despesas médicas do PAMA;
  • lutar por empréstimos sem o viés de interesses bancários;
  • empenhar-me na agilização dos processos de concessão de pensão das viúvas e dependentes, sem que haja descontinuidade do plano de saúde.

A Sistel disponibilizará no dia 03/03/2021 para seu e-mail ou seu celular uma senha de votação. Mas você poderá obter a senha de votação no site da Sistel (de 08/02 até 24/03) e votar em nossos nomes para compor o quadro do Conselho Deliberativo da Sistel. Guarde esta senha de votação e você vai precisar também do CPF para votar.

A APAS-RJ sempre esteve na vanguarda da luta por melhores dias para os Assistidos da Fundação Sistel.  Venha participar de nossa luta.

Compõem a nossa chapa para membros do CONSELHO DELIBERATIVO:

  • NOMINANDO MARTINS DA SILVA, titular e os companheiros que atuam na APAS-RJ há muitos anos, o Vice Presidente da APAS-RJ,
  •  Paulo Sergio Longo que será o meu suplente, e o Diretor de Previdência da APAS-RJ,
  • Joatonio de Magalhães Pereira que será o substituto eventual de ambos.

Companheiros temos muita luta pela frente e para isso necessitamos do seu apoio, que está representado no seu gesto de telefonar no 0800 602 7550 e votar na nossa chapa. Você pode votar também pelo site da Sistel.

A votação será realizada entre os dias 15/03/2021 a 24/03/2021

 

CONSELHO DELIBERATIVO – REGIÃO 2

VOTE NA CHAPA N° 14

Forte abraço a todos.

Nominando Martins da Silva

APRESENTAÇÃO DO CANDIDATO DA APAS-RJ AO CONSELHO FISCAL DA SISTEL

Rio de Janeiro, 09 de fevereiro de 2021.

 Prezados colegas e companheiros,

Desde a fundação da APAS-RJ, há cerca de 25 anos, venho trabalhando na Associação, de maneira voluntária, onde exerci os cargos de Diretor de Seguridade, Vice- Presidente e Presidente. Atualmente sou o Presidente do Conselho Consultivo.

Durante todo este período, procurei atuar sempre no sentido de solucionar os problemas e reivindicações de nossos associados e demais assistidos do Estado do Rio de Janeiro.

No período de 2015 até hoje, exerço o mandato de membro do Conselho Deliberativo da Sistel, graças aos votos dos nossos companheiros da antiga Telerj.

Neste período, contribuí para o bom desempenho atuarial, financeiro e assistencial da Fundação, o que, de fato, aconteceu.

Além disso, nós conselheiros eleitos apoiados pela Fenapas, obtivemos as seguintes conquistas, entre elas:

  • Distribuição aos assistidos dos superavits do PBS-A dos anos de 2012, 2014 e 2015
  • Aprovação no Conselho da Sistel, do superavit do ano de 2016, ora em provação na PREVIC
  • Limitação da correção anual do PAMA/PCE aos níveis da variação do INPC
  • da Obrigatoriedade das patrocinadoras arcarem com 100% do ônus de eventuais deficits futuros no plano PBS-A
  • Redução do percentual de co-participação nas despesas do PAMA/PCE ( Ainda em negociação)
  • Liberação de 50% do pecúlio em vida ( Ainda em negociação)

Aproveito esta mensagem para informar aos amigos, que desta feita me candidatei a membro do Conselho Fiscal da Sistel, nas eleições a se realizarem em março deste ano.

Para tanto, convidei os colegas Luiz Omar Amério Monteiro que é nosso representante na área Norte Fluminense e membro do Conselho Consultivo da APAS-RJ, e João Carlos Pinheiro da Fonseca, que além de longa carreira na Telerj, foi Diretor de Informática de APAS-RJ e hoje é membro do Conselho Consultivo.

No dia 08/2/2021, a Sistel fez o sorteio dos números das chapas, com o seguinte resultado:

 

CONSELHO FISCAL – CHAPA nº 20

Carlos Alberto de Oliveira Castro Burlamaqui – Titular

Luiz Omar Amerio Monteiro – Suplente

João Carlos Pinheiro da Fonseca – substituto

Espero continuar contando com a confiança de nossos companheiros e amigos, solicitando que votem nas chapas acima, apoiadas pela APAS-RJ e pela FENAPAS.

Muito obrigado,

Carlos Alberto Burlamaqui