ELEIÇÕES FUNDAÇÃO ATLÂNTICO

A Fundação Atlântico enviou ontem à noite (14/03), por e-mail, a senha provisória para as eleições de amanhã (16/03) dos delegados que comporão os colégios eleitorais.

Se você não recebeu a sua senha, envie e-mail para eleicoes2022@fundacaoatlantico.com.br com seu nome, CPF e  e-mail que deseja cadastrar para receber a senha.

É de suma importância que se elejam candidatos comprometidos com os reais interesses dos assistidos. Por isso, pedimos seu voto para AILTON CESAR FERREIRA REIS.

Não deixe de votar amanhã. Seu voto é muito importante.

DIRETORIA DA APAS-RJ

Governo volta a atacar trabalhadores e fundos de pensão

Por Marcel Barros e José Ricardo Sasseron (artigo publicado no Reconta Aí)

O jornal Valor Econômico noticiou, na última semana, que o Ministro da Economia, Paulo Guedes, prepara projeto de lei a ser apresentado ao Congresso Nacional pelo presidente Bolsonaro para permitir a participantes de fundos de pensão – patrocinados por empresas ou órgãos públicos – que escolham entre aderir ao plano de previdência da entidade fechada de previdência complementar (EFPC) patrocinada ou ao plano de uma entidade aberta, ou seja, de um banco privado.

Segundo a matéria, seria aberta a alternativa de portar, ou seja, retirar os recursos das entidades fechadas e levá-los para os bancos. O objetivo seria permitir aos participantes fugirem de “interferências políticas”.

Interferência política é abrir a porteira para a boiada dos banqueiros passar e abocanhar cerca de R$ 550 bilhões – hoje administrados pelos fundos de pensão (EFPC) patrocinados por empresas estatais ou por órgãos de governo. O projeto, se aprovado, beneficiaria os bancos e causaria enormes prejuízos aos participantes destes fundos, que são patrocinados por empresas como o Banco do Brasil, Petrobras, Caixa, Eletrobras e muitas outras, e pelo Governo Federal, governos estaduais e municipais.

A falácia dos argumentos citados na matéria não se sustenta e o contraponto vem dos dados publicados recentemente pelo próprio Ministério da Economia. O Relatório Gerencial de Previdência Complementar relativo ao 4º bimestre de 2021 aponta que, de 2012 até agosto de 2021, as EFPC brasileiras tiveram uma rentabilidade média de 162,1% e cobram taxa de administração média de 0,27% ao ano para gerir o plano de previdência complementar do participante. Os planos abertos, administrados pelos bancos, tiveram uma rentabilidade média de 108,8% no mesmo período e cobram taxa de administração média de 1,3% ao ano.

Os bancos cobram taxas de administração quase cinco vezes maiores para entregar resultados muito menores. Em outras palavras, se tiver seu dinheiro administrado pela previdência aberta de um banco, o participante da EFPC terá um patrimônio menor e um benefício de aposentadoria no mínimo 33% menor. A diferença fundamental é que a EFPC administra o patrimônio do participante sem visar lucro, enquanto os bancos brasileiros estão entre os mais lucrativos do mundo, engordando seu caixa sugando dinheiro dos seus clientes.

Não custa lembrar ao distinto leitor que Paulo Guedes foi um dos fundadores do Banco BTG e assessorou a privatização da previdência chilena, administrada pelos bancos, que deixou mais de 60% dos idosos daquele país sem aposentadoria e os bancos com os cofres abarrotados de dinheiro dos trabalhadores.

Não custa lembrar, também, que vários prejuízos foram causados aos fundos de pensão brasileiros por gestores de ativos ligados a grandes bancos, como por exemplo a filial brasileira do BNY Mellon, um dos maiores gestores de recursos de terceiros do mundo, que causou prejuízo monumental a um dos grandes fundos de pensão estatais.

Os prejuízos que poderiam ser causados pelo projeto não param por aí. O projeto extingue a obrigatoriedade de representação paritária entre participantes e patrocinadores na gestão da EFPC, bastando para isto que ela administre um minúsculo plano de benefícios de empresa que não seja estatal. Além de permitir a entrega do patrimônio do participante aos bancos, o projeto quer impedir o trabalhador de interferir na gestão de seus recursos.

Outro prejuízo evidente: se o participante transferir suas reservas para a administração de um banco, libera a empresa patrocinadora da cobertura de qualquer insuficiência ou déficit de seu plano de previdência.

Fica evidente que o atual governo defende os interesses dos bancos, em vez de proteger o interesse dos participantes, conforme prescrevem as atuais leis complementares 108 e 109, promulgadas em 2001, e que seriam alteradas pelo referido projeto de lei.

Os trabalhadores precisam lutar contra mais uma tentativa do atual governo de destruir seus direitos.

* José Ricardo Sasseron foi presidente da Associação Nacional de Participantes de Fundos de Pensão e de Beneficiários de Planos de Saúde de Autogestão (Anapar), diretor eleito de Seguridade da Previ e diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

* Marcelo Barros é vice-presidente da Anapar e representante dos participantes de fundos de pensão no Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC). Foi diretor eleito de Seguridade da Previ

Eleições Atlântico 2022, como Votar

No dia 16 de março, das 9 às 18 horas, pela Internet você poderá eleger o Delegado do seu Estado que participará dos Colégios Eleitorais da Atlântico. Para votar, siga as orientações::

Na semana da votação, você receberá no seu e-mail cadastrado na Atlântico, uma SENHA PROVISÓRIA, para você iniciar o processo de votação, ANOTE-A. Se não tiver recebido, veja abaixo em PROBLEMAS e SOLUÇÕES. 

1-Em 16 de março acesse: https://fundacaoatlantico.eleicaonet.com.br/ e clique em CLIQUE AQUI PARA VOTAR. Digite o seu CPF e a SENHA PROVISÓRIA e clique em CONFIRMAR. 

2-Na tela seguinte, crie a sua SENHA DE VOTAÇÃO, que deve ter apenas letras e números, no mínimo 6, sendo no mínimo 1 número, ANOTE-A! Clique em CONFIRMAR. 

3– A seguir, você terá acesso às instruções para a votação. Depois de ler, clique em VOTAR: 

O candidato pelos Aposentados do Rio de Janeiro, apoiado pela APAS-RJé o nosso colega Ailton Cesar Ferreira Reis, que desde 2006, trabalha conosco na defesa dos direitos dos aposentados. 

3.1-As cédulas de todos os candidatos da sua UF estarão disponíveis. Clique no espaço indicado em verde da cédula do nosso candidato. Caso precise alterar clique em CORRIGIR, após corrigido, clique em CONFIRMAR. Caso queira finalizar o voto, digite o seu CPF e a sua SENHA DE VOTAÇÃO e clique em CONFIRMAR. 

3.2-Ao CONCLUIR você terá acesso a tela de COMPROVANTE DE VOTAÇÃO, que tem o seu CPF, Nome, nº do comprovante, endereço de IP, data e hora da votação. Você também receberá um e-mail com o seu nº do comprovante.

 

PROBLEMAS e SOLUÇÕES:

1-Caso não tenha recebido, o e_mail com a SENHA PROVISÓRIA verifique sua caixa de spam/ lixo eletrônico de seu e-mail. 

2- Caso você não tenha e-mail cadastrado na Fundação, envie um e_mail, com seu nome, CPF e e-mail que deseja cadastrar ou alterar, para eleicoes2022@fundacaoatlantico.com.br  

3- Caso não tenha recebido ou tenha esquecido sua SENHA PROVISÓRIA, acesse a plataforma digital https://fundacaoatlantico.eleicaonet.com.br/ e clique em VOTAÇÃO. Digite o seu CPF e clique em RECUPERAR SENHA, digite seu e-mail e automaticamente uma nova senha será encaminhada. 

Contamos com o seu voto. 

DIRETORIA APAS-RJ

Eleições Fundação Atlântico

No dia 16 de março, Fundação Atlântico fará eleição, nos Estados, para escolha dos Delegados (um representante dos ativos e um representante dos assistidos) para compor os Colégios Eleitorais que irão eleger os Conselheiros Deliberativo e Fiscal da Fundação.

Assistidos, isto é, Aposentados só podem votar em candidatos a Delegado Assistidos (Aposentados).

A eleição dos Conselheiros Deliberativos é indireta, os Conselheiros Deliberativos e Fiscal serão escolhidos e votados entre os Delegados eleitos nos estados.

Essa votação será através de plataforma digital operacionalizada pela Fundação Atlântico. Até agora não temos informação de como isso será feito, divulgaremos tão logo seja definido.

O candidato a Delegado pelo Rio de Janeiro para representar os Aposentados (Assistidos) apoiado pela APAS-RJ é o nosso colega Ailton Cesar Ferreira Reis, que desde 2006 tem trabalhado conosco na defesa dos direitos dos Aposentados.

O seu voto é importante. É um direito seu, que na situação atual, precisa ser exercido!

No dia 16 de março vote em Ailton Cesar Ferreira Reis.

Diretoria da APAS-RJ

Procedimentos em caso de óbito.

“A APAS-RJ preparou as instruções a seguir, para auxiliar os familiares do assistido, em caso de óbito. Não é agradável falar deste assunto, mas é de muita utilidade, nesta hora tão difícil.”

 

RESUMO PARA PEDIDO DE PENSÃO / PAMA/ DESIGNADO – SISTEL,   INSS  E  SEGURO ICATU

 

A)  SISTEL -  PEDIDO  PENSÃO 

-  No telefone da Sistel 0800 602 1801, solicitar os formulários de PENSÃO PBS-A e de ADESÃO AO PAMA-PCE, ou procure a APAS-RJ que forneceremos os formulários.

- Tirar certidão atualizada de casamento no cartório – certidão tirada após o óbito do assistido(a) – ou certidão atualizada de casamento que tenha sido tirada até seis meses antes do óbito do assistido(a);

- Preencher os formulários de pedido de pensão para a(o) viúva(o), que vai figurar no formulário como beneficiária(o) – datar e assinar as duas páginas;

- Preencher o formulário de adesão ao PAMA-PCE (plano saúde da Sistel/Bradesco/Unimed). A viúva(o) vai figurar no formulário como titular do plano PAMA-PCE; – lembramos que é a viúva(o) que está solicitando a adesão ao PAMA-PCE -;  datar e assinar todas as três páginas e com duas testemunhas na última página. Caso não queira fazer a adesão ao PAMA-PCE, a viúva(o) será inscrita somente no PAMA e não precisa preencher e enviar o formulário de adesão ao PAMA-PCE;

- Escanear o formulário de pedido de pensão e o formulário de adesão ao PAMA-PCE;

- Escanear a certidão de casamento atualizada e a certidão de óbito do falecido;

- Escanear os seguintes documentos da(o) viúva(o): CPF, identidade, comprovante de residência, extrato de conta corrente bancária individual de um dos seguintes bancos:  Itau, Bradesco, Santander e Brasil – (não pode ser conta poupança);

- Após todos os documentos escaneados, enviar para a Sistel para o seguinte email:   atendimentosistel@sistel.com.br , você pode enviar alternativamente a documentação para a Sistel, em Brasília pelo correio.

- OBSERVAÇÕES:

1- Enviar toda a documentação acima para a Sistel,  dentro de 30 dias da data do óbito do(a) assistido(a), para não ter carência do plano de saúde para cirurgia, internação, quimioterapia, etc;

2- Quando for aprovada a pensão pela Sistel, a(o) viúva(o) vai receber a pensão todo mês referente a  60% do que o(a) assistido(a) recebia. Vai receber também o PECÚLIO de uma só vez e vai ser inscrita(o) no PAMA ou no PAMA-PCE (caso tenha feito a adesão);

3- Quando do falecimento do(a) assistido(a) e, se a beneficiária(o) já estiver falecida(o) anteriormente, as pessoas que tiverem sido “designados”, receberão o pecúlio. Recomendamos que o(a) assistido(a), em vida, preencha e envie para a Sistel o formulário para “inclusão de designados”, de quaisquer pessoas de seu conhecimento, para receber o pecúlio; esta é a única condição do pecúlio ser pago. Ressaltamos que, a prioridade para receber o pecúlio é sempre da viúva(o), os designados só vão receber o pecúlio caso a beneficiária(o) já tenha falecido;

4- Na data do falecimento do(a) assistido(a), a beneficiária(o), fica temporariamente sem o plano de saúde, até que a pensão seja aprovada pela Sistel, quando o plano de saúde ficará ativo;

5- Caso exista alguma dívida com o PAMA do(a) assistido(a) que vier a falecer, a Sistel vai descontar do pecúlio a ser pago a viúva(o) ou aos designados o valor da dívida.

6- A Sistel não paga o funeral de assistido(a).

7- Caso o assistido(a) tenha algum empréstimo, com pagamentos descontados em folha do benefício da Sistel, quando ocorrer o seu falecimento, o empréstimo ficará quitado automaticamente e nada mais será cobrado.

             Em caso de dúvida procure a APAS-RJ nos telefones 2262-7466 ou 2157-3566.

                                 - Pensionistas para sua proteção se associem a APAS-RJ -

 

B)  INSS – PEDIDO PENSÃO

- Documentação idêntica a necessária para a Sistel. De posse do número do BENEFÍCIO do INSS do assistido(a) falecido(a), agendar pelo telefone 135 e verificar se necessita autenticar os documentos;

 C)  SEGURO DE VIDA ICATU

-  Após o óbito do assistido(a) obter informações pelo telefone 4002-0042 (capitais) ou 0800 286 0110 ou 0800 285 3000. O seguro Icatu tem como estipulante a Sistel.

Anapar debate projeto de mudanças do marco legal no dia 10/09, próxima sexta-feira, às 14h

Fundos de Pensão: Como articular a reação `a proposta do IMK de mudanças nas Leis Complementares 108 e 109/ 2001

 

Anapar debate projeto de mudanças do marco legal no dia 10/09, próxima sexta-feira, às 14h

 

Debate promovido pela Associação Nacional dos Participantes de Fundos de Pensão e de Beneficiários de Saúde Suplementar de Autogestão (Anapar) com a deputada federal Erika Kokay (PT-DF) e os ex-superintendentes da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) Ricardo Pena, presidente da Funpresp, e José Roberto Ferreira, sócio-diretor na Rodarte Nogueira & Ferreira, para discutir o anteprojeto que prevê alterações nas leis complementares 108 e 109/2001, proposto pelo grupo de trabalho chamado Iniciativas de Mercado de Capitais do Ministério da Economia (IMK/ME), e como os participantes de fundos de pensão podem fazer o enfrentamento.

Se havia alguma dúvida sobre a política de favorecimento da transferência dos recursos dos fundos de pensão aos bancos e seguradoras em curso no governo, não há mais motivos para iludir-se. Basta analisar a proposta de revisão das Leis 108 e 109 de 2001 IMK/ME, que está circulando entre as entidades fechadas de previdência complementar (EFPC). A começar pela composição desse Grupo que conta com a participação do Banco Central (BACEN), da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), da Secretaria de Planejamento Econômico, da Secretaria Especial da Fazenda, do Tesouro Nacional, da SUSEP, da PREVIC, de 13 Associações do mercado bancário, de capitais, de seguros e previdência, incluindo a Bolsa (B3), para que se atente ao viés tendencioso desse debate.

Valendo-se da justificativa de dar provimento às alterações implementadas pela Emenda Constitucional nº 103, de 12 de novembro de 2019 (Reforma da Previdência Social), o documento amplia o escopo inicial para introduzir todas as propostas demandadas pelo sistema financeiro, sob o questionável argumento de promover fomento do Sistema Fechado de Previdência Complementar. Para isso propõe-se a propalada harmonização das regras aplicáveis às entidades abertas e fechadas que, em síntese, só favorece às primeiras, uma vez que a equiparação do tratamento tributário, único beneficio que se poderia listar em favor das entidades fechadas, não foi sequer apreciado.

Tratam-se de profundas e sensíveis mudanças na legislação de previdência complementar, que pode representar enorme retrocesso na governança e na operação dos planos previdenciários, bem como na relação dos patrocinadores públicos com as EFPC. Atentem-se às principais alterações defendidas pelo IMK/ME.

Os ajustes a serem promovidos na legislação de regência deveriam limitar-se ao atendimento do comando constante da Emenda Constitucional n° 103/2019, uma vez que há prazo para regulamentação do citado dispositivo constitucional – novembro/2021. Todas e quaisquer outras alterações poderá ser objeto de ampla e profunda discussão, com participação dos diversos segmentos representativos da sociedade civil, e tratados em momento adequado, que certamente não é agora.

Inscrições feitas clicando aqui, pelo Sympla

Fonte: Anapar (06/09/2021) e Blog Aposentelecom

FUNDAÇÃO ATLÂNTICO

DESEMPENHO DOS PLANOS – JULHO 2021

 

 Desempenho relativo aos compromissos de Contribuição Definida 

Planos TelemarPrev e TCSPREV   0,35% (no mês)                                                                                                                 1,93% (acumulado 2021)                                                                                                   4,95% (acumulado últimos 12 meses)

Plano CELPREV                            0,35% (no mês)                                                                                                                 1,96% (acumulado 2021)                                                                                                    5,00% (acumulado últimos 12 meses)

PLANO FAMÍLIA 

Perfil Conservador                        0,32% (no mês)                                                                                                                 1,73% (acumulado 2021)

Perfil Moderado                             0,38% (no mês)                                                                                                                  2,94% (acumulado 2021)

 Perfil Arrojado                            0,67% (no mês)                                                                                                                  5,54% (acumulado 2021)

 

Desempenho relativo aos compromissos de Benefícios Definido

Plano TelemarPrev                        0,75% (no mês)                                                                                                                  5,85% (acumulado 2021)                                                                                                13,01% (acumulado últimos 12 meses)

Plano TCSPREV                          -0,45% (no mês)                                                                                                                  3,10% (acumulado 2021)                                                                                                  9,73% (acumulado últimos 12 meses)

Plano PBS-Telemar                       0,31% (no mês)                                                                                                                  4,93% (acumulado 2021)                                                                                                11,66% (acumulado últimos 12 meses)

Plano PBS-TNC                            -0,65% (no mês)                                                                                                                 2,98% (acumulado 2021)                                                                                                   9,27% (acumulado últimos 12 meses)

Nossos números

 R$ 11,5 BI – Patrimônio Social

182 – Adesões (ano)

R$ 53,3 MI – Folha de pagamento de benefícios

450 – Benefícios concedidos (ano)

 Participantes: 9.872

Assistidos: 15.167

Empréstimos concedidos: 298 (junho)

Valor financeiro dos empréstimos concedidos em junho:

R$ 1.445.648,82

 

 

 

SISTEL: ADIANTAMENTO DE 50% DO 13º BENEFÍCIO (ABONO ANUAL) SAIRÁ ESTE MÊS

  

Informamos que haverá a antecipação de 50% (cinquenta por cento) do Abono Anual e o pagamento desta primeira parcela será realizado no dia 30 de junho, juntamente com o benefício mensal da Sistel. Este pagamento antecipado não é obrigatório, mas a Sistel entende a importância dessa antecipação, principalmente nesse momento tão atípico que estamos vivenciando.

Qualquer dúvida, estamos à disposição para te atender por nossos canais de Relacionamento!

Fonte: Sistel (07/06/2021)